Social Icons

facebooktwitterrss feedemail

Pages

31 de março de 2010

Country!? Eu?



Assisti nesses dias o Crazy Heart que levou dois Oscars, melhor canção original e melhor ator para o Jeff Bridges e estou em um clima country. Talvez seja por pouco tempo... Deve ser aquela sensação logo depois de assistir um filme bom, quem nunca quis montar uma gangue depois de assistir o Laranja Mecânica (Clockwork Orange,1971) ou ter um peixe e não jogar ele na privada depois de assistir o Nemo (Finding Nemo,2003)?
O filme me lembrou bastante o Johnny & June (2005), que também gostei muito por causa das músicas do Johnny Cash e me fez entrar em um processo reflexivo: Talvez o pessoal do country não seja tão diferente dos caras do Rock... será que eu sou um fan de música country e não sei!?
Passei a vida inteira ouvindo Rock and Roll mas agora pensando bem um monte de pessoas a minha volta também gostam de música Country! Isso se eu levar em consideração que música Country também é Sertanejo, e que para falar a verdade eu não sei se há diferenças entre os dois... Talvez sejam iguais na definição, mas um com o nome em inglês.

Sempre que vou para o interior bebo uma com os caras no bar e de vez em quando eles conversam sobre música, nessa hora fico na minha e não falo nada porque sou leigo e não quero falar besteiras na frente dos sertanejos Old School.
Eles falam coisas do tipo: Zezé de Camargo? Isso não é sertanejo! Sertanejo mesmo é Pena Branca e Xavantinho, Moda de viola! E quando toca na rádio Boate Azul eles comentam: Essa é boa hein, e pedem mais uma branquinha com limão.
Eu me sinto a vontade com o pessoal de lá, eles são parecidos comigo em vários pontos e contam um monte de histórias sobre os bailes que eles iam quando jovens e das mulheres nas festas, se bem que muita coisa eu não posso levar em consideração porque são conversas de boteco e no final das contas eles também contam ali o que pescaram semana passada. Só para constar, o pessoal que bebo junto são os tiozinhos. Os senhores que só usam boné que ganharam de alguma loja e camisa de botão aberta sem muito o que fazer para esconder a pança (somos iguais nisso). Com o pessoal mais novo já não rola a mesma empatia.

Tempos atrás eu estava com meu amigo Beterraba e sem nada para fazer de noite, mas naquele dia ia ter show do Edson e Hudson na cidade e fomos. Me senti um tanto deslocado, talvez porque eu não conhecesse nenhuma música ou talvez porque eu estava de jaqueta e camisa do Ramones que não combinava muito com o ambiente. O Beterraba também não era o mais normal lá, ele estava igual o Marcelo D2, aí o pessoal olhava meio esquisito e fazia comentários irônicos, claro que só reparei nisso nos primeiros 20 minutos, depois que começamos a beber ficamos a vontade.
Apesar de algumas tentativas não obtive sucesso fazendo contatos sociais, mas a essa altura nenhum de nós ligava mais para isso e tudo foi festa.
E como tem mulher bonita em festas sertanejas! Era como se aquelas meninas atrás do Faustão tivessem ido todas para o show, e algumas quase com a mesma roupa! Os tiozinhos do bar não mentiram sobre isso!!!

Em uma outra festa de interior eu estava com uma tia esperando o show começar e ela falava que precisava guardar lugar e que queria um bom para ver o Daniel, inclusive ela é a fan número 1 dele, então fiquei ajudando. Eu pensei: Pô! Eu já vi Misfits e Dead Kennedys se a tia quiser ela sobe no palco e dá Moshing.
Cara... quando o indivíduo entrou no palco eu nunca vi nada tão selvagem! Todo mundo se esmagou! Literalmente! Eu não conseguia levar minha latinha até a boca! Falei para minha tia que ia sair e depois de meia hora sendo empurrado, amassado e xingado consegui chegar num portão e respirar. Puts... Imagina se esse pessoal inventa de abrir rodas em shows!

Pensando bem... no Sertanejo tem o pessoal Old School, tem o pessoal folgado nas festas e tem o pessoal dos shows que são todos loucos. Só muda o som, não somos tão diferentes assim.

6 de março de 2010

And The Oscar Goes To... (Parte 2)

Bom aqui vão os outros cinco filmes, eu achei bem legal essa iniciativa de colocar dez indicados para melhor filme ao invés de cinco, combina com a época em que vivemos em que a quantidade de informação é gigantesca se comparada com alguns anos atrás. É a 82ª  entrega de prêmios acontece amanhã (07/03) domingo e está marcada para às 22:00 horário de Brasília.

Up!
 
É o segundo filme inteiramente animado a ser indicado, o primeiro foi a Bela e a Fera (The Beauty and The Beast, 1991) no Oscar de 1992, acho que já faz um tempo que as animações mereciam mais destaque e não só concorrer para o prêmio de melhor animação. O enredo é muito bom pricipalmente a introdução, linda. Os estudios de animação não param de evoluir a cada trabalho cada vez mais complexos, incluindo a animação de personagens. O que me faz imaginar, será que algum dia teremos atrizes e atores virtuais concorrendo a algum Oscar?

Avatar
Falando nisso o avatar da Sigourney Weaver está igualzinho a ela. Avatar é um dos favoritos para levar a estátueta. Conversando com alguns amigos sobre, a história ficou na mesma linha de Dança Com Lobos (Dance With Wolves,1990) e O Último Samurai (The Last Samurai,2003) e não achei lá aquelas coisas, acho que funciona como entretenimento mas nada que seja tão excepcional. O que vale mesmo são as animações e efeitos digitais muito acima da média, a floresta dos nativos é mágica, cheia de animais coloridos e seres brilhantes. É como se a floresta onde se passa Sonhos de Uma Noite de Verão ( A Midsummer Night's Dream, 1594~96*) do Shakespeare fosse encontrada em algum lugar do futuro.

A Serious Man
 
Conta a história de um professor judeu nos Estados Unidos da década de 70 e de como ele tenta conciliar seus preceitos morais e religiosos com tudo que acontece a sua volta e na sociedade americana da época em assuntos como: família, dinheiro, doutrina judaica, educação no seu trabalho e com os filhos dentro de casa. Mas não consegui gostar do filme,  talvez eu não tenha visto na hora certa, achei chato.

Up In The Air
Dentre os dez esse foi um dos que eu mais gostei, o George Clooney interpreta um funcionário de uma empresa que tem o serviço terceirizado e com isso o personagem passa mais de trezentos dias por ano viajando por todo o país, o que se torna uma rotina em um bom sentido ou além, torna-se um modo de vida. A fotografia do filme é ótima, é como se estivéssemos viajando junto e conhecendo um pouco dos Estados Unidos em alguns takes e cenas.

Precious: Based on the Novel Push by Sapphire

 
A atriz Gabourey Sidibe também concorre como melhor atriz. O filme é passado no Harlem e conta a história da adolescente Precious que vive em uma família pobre e desestruturada, molestada pelo pai e abusada pela mãe. Falando assim talvez pareça um filme só dramático e tenso mas não tive essa opnião, achei que vai bem além de só uma história triste, mexe muito com aspirações, desejos e valores que cada pessoa carrega na vida. O filme também tem a particição da Mariah Carey e Lenny Kravitz e uma dos pontos que vale destacar é a trilha sonora que tem coisas como The Platters e Mary J. Blige.

Entre os dez o melhor filme na minha opnião é o Precious, o filme é execelente, aqui vai o Trailer e espero que ele ganhe amanhã apesar de estarem sendo muito cogitados o Avatar e o The Hurt Locker.

 

.

.

.