Social Icons

facebooktwitterrss feedemail

Pages

3 de agosto de 2013


Onde fica o banheiro?


Não consigo descobrir qual é a importância da vida ou se é isso que estou realmente procurando, mas sei que quando eu subo as escadas de uma bela casa de classe média que por o acaso não é minha e a porta do quarto que por sequência não é meu, esta em minha frente, fico parado e lembro que estou quase no meio da vida e já deveria ter alcançado pelo menos metade das coisas que um ser humano normal necessita para sobreviver segundo a sociedade. Isso tudo me assusta.
Abro a porta como se estivesse em câmera lenta da mesma forma que elas se abrem naqueles filmes que sempre gostei e então espero ver diversas coisas e principalmente ouvir aquela melhor música da trilha sonora começar a tocar.
A minha frente vejo apenas um colchão grande no chão, sem cama alguma, com lençóis limpos e arrumados que me faz pensar em minha mãe, à direita uma pilha com duas ou mais caixas onde estão algumas das lembranças da minha vida que consegui ou lembrei guardar. Dou uma breve olhada em volta e só enxergo paredes cinza e encardidas todas gastas pelo tempo e com duas imagens penduradas, uma à cima da pilha de caixas é uma foto do rosto de um dos melhores se não o melhor guitarrista que já pisou na Terra, em minha humilde opinião. Impresso em um ridículo e pequeno pedaço de isopor esta Jimi Hendrix me encarando com um olhar sério quase triste como se estivesse pensando.What fuck, man”.
Na parede à esquerda esta a outra imagem, só que com um pouco mais de cuidado esta foi emoldurada. Concebida por um amigo, também não tem grandes dimensões, mas seu tamanho não representa sua grandeza e profundidade. Se tivesse que redefinir, não caberia no quarto.
Deito-me no colchão e tenho uma sensação boa, um alívio intrigante. Percebo que esse quarto vazio é o melhor que poderia ter, pois ficaria com preguiça e não me lembraria de guardar e arrumar todas as coisas que deveria ter conquistado até agora se fosse um ser humano ordinário.
No fim de tudo só o refrão daquela trilha sonora ecoa em minha cabeça.

“Everyday will be like a Holiday

 When my baby, when my baby comes home”



Musica do noite, não poderia ser outra.




 

.

.

.